fbpx

Qual tristeza? Qual força? Pergunte isso antes de responder. Descubra quais tristezas você pode enfrentar e quais você deve ignorar.

Ignorar uma tristeza? Isso é possível?

Nós conversaremos aqui sobre as tristezas emocionais, podendo ser elas vindas de:

  • Fim de Relacionamento.
  • Medo de Falar com Alguém.
  • Contusão Leve no Dedão do Pé.
  • Ansiedade Para Prova De Concurso.
  • Decisão Para Mudar de Emprego e Área.
  • Aquela Tristeza Que Vem Ninguém Sabe de Onde.
  • Pensamentos Recorrentes Que Querem Nos Destruir.

Apenas listei acima as situações que já usei isto na minha vida. Mas há muito mais!

Sim, você notou que também dá para usar esse método em dores físicas? Esse não vai ser nosso foco, mas com isso você pode perceber o quão poderoso é este método. Algo que você precisa saber é que o método é simples (simples até demais!) e eu poderia te dizer logo agora ou você poderia correr para o resumo do artigo inteiro. Mas,

saber o resumo não vai te explicar o como nem porquê usar esse método!

Vou te explicar devagar – mas na velocidade certa – de modo que você entenda, principalmente, os gatilhos mentais que podem estar te fazendo cair em tristeza profunda por vontade própria. Acontece que nosso sentimento vem exatamente de dentro de nós e, por mais que tenhamos a certeza que é incontrolável, te digo que é sim possível sentir e sofrer no momento certo.

Sofrer no momento certo é a chave para estar disponível a sorrir no momento certo!

Analogia da Dor: Lavar Louças.

Depois dessa analogia, cada louça que você lavar vai te ensinar a ser uma pessoa com maior resiliência emocional.

Você vai perceber o quanto podemos aprender a lidar com nossos sentimentos com uma simples analogia de lavar louça. Primeiro, vou te mostrar os requisitos iniciais para lavar louça e seu equivalente da resiliência emocional.

  • Prato (Passado)
  • Comida (Felicidade)
  • Esponja (Momento de Decisão)
  • Detergente (Mal Que Vem Pro Bem)
  • Água (Pensamentos Recorrentes)
  • Prato (Presente)
  • Comida (Tristeza)
  • Pano (Renovação)
  • Prato (Futuro)

Entendeu alguma das palavras colocadas entre parênteses? Se não entendeu, não se preocupe que você vai entender a importância de cada uma delas. O que você, até agora, acha que sabe sobre o Prato, que se repetiu três vezes em nossa lista? Sei que será muito interessante e rico podermos conversar sobre isso.

Tudo Começa no Momento de Decisão, Quando a Esponja Está na Mão.

A esponja, da nossa analogia, representa o momento em que decidimos (ou não) enfrentar uma dor (tristeza). A não decisão pode ser uma das decisões mais fortes que tomamos, mas com o malefício de ser uma decisão “não tomada”. Deixa trazer um caso real para que possamos ilustrar melhor esse exemplo. Vamos supor um momento de mudança de área ou emprego. Para quem já passou ou está passando, é algo muito impactante, doloroso e estressante.

Por não saber para onde ir, nos afogamos nos pensamentos recorrentes (água).

Então ficamos rondando nas consequências das várias decisões que não tomamos e nos martirizando por não tomar essa decisão. No entanto, talvez você realmente não esteja com capacidades suficientes para tomar tal decisão. É apenas a diferença do que você espera de você com o que realmente é que te faz sofrer. Nada mais.

Existem duas variáveis que exigem que a louça seja lavada

  • não ter louça no armário
  • não ter espaço na pia

Há Um Momento Que Você É Obrigado a Tratar a Dor

É preciso lembrar que, quando não conseguimos resistir de forma alguma à dor, procurar ajuda profissional pode ser necessário. Rivotril vicia, procure acompanhamento médico.

No momento que a pia atinge lotação máxima, com uma pilha gigantesca de pratos quase caindo, um odor terrível e uma gosma saindo de baixo da pia, é então obrigatório lavar a louça. Nesse momento, é um dos únicos que é obrigatório, também, trabalhar sua tristeza. Há outro importante que é quando não existem mais peças a serem utilizadas no armário. Você então pode afundar-se na reutilização de louça suja ou lavar logo essa louça, ou seja, cuidar da sua dor.

Quando faltam opções ou quando o odor tá terrível é, unicamente, quando é obrigatório tratar sua dor.

E, finalmente, chegamos ao simples método desse artigo inteiro. Acredito que, nesse momento, você já tenha entendido um pouco como se lava louça e esteja quase entendendo onde quero chegar. Vou te dar agora o método numa frase super simples, mas quero que você prometa (não para mim, para você) que irá até o fim do artigo para que possa saber, exatamente, como usar a frase a seguir.

Você pode decidir que não é forte para enfrentar. Não agora, pelo menos.

“Tenho que melhorar”, “preciso esquecer minha ex”, “qual trabalho eu faço?”, “quando vou tomar vergonha na cara?”, “eu queria poder me separar!”, “meu coração dói!”, “quero chorar!”, “por que é tão difícil?”. Se alguma dessas frases já saiu da sua boca, então saiba que você não era forte o suficiente. Não, você é sim uma pessoa forte. Talvez, seu único erro foi menosprezar o tamanho do sofrimento e superestimar sua debilitada (no momento específico) força.

A Comida, que está no passado, é o motivo que você tem de felicidade.

Quando acabar de comer, no fim de uma relação amorosa por exemplo, o que sobra é um prato sujo. Às vezes temos de lavar uma panela engordurada com algo pregado nela que precisa de um detergente (decisão) mais forte do que o que temos no momento. E é aí onde sofremos. Se você já tentou lavar uma panela que precisava ficar de molho, então com certeza não foi falta de força, foi erro do momento e capacidade para usar essa força.

Você é forte, aprenda a usar sua força no momento certo!

Quando a Dor Pode Ser Vivida Sem Ser Tratada

Esse é o retrato de uma pessoa normal: feliz igual os balões. Apesar disso, eles também estão tristes, mas suportam essa tristeza.

Repito que o método trabalhado neste artigo é bem simples:

“Você pode decidir que não é forte para enfrentar. Não agora, pelo menos.”

Da mesma forma, podemos analisar a frase do método e reescrever ela de uma forma que te empodere para que você possa trabalhar melhor seus pensamentos. Sabe, às vezes as coisas estão na nossa cara mas não é que não queremos, é que talvez não podemos enxergar

Você pode decidir que ainda não é forte para enfrentar, Mas, no futuro, será.

Isso aconteceu comigo quando estava decidindo em uma troca de profissão. Passei um mês desesperado sem saber o que fazer, achando que iria arruinar minha vida. No entanto, foi num momento que decidi não que eu era fraco, mas que ainda não era forte o suficiente para tomar essa decisão. Naquele momento, não me faria mal simplesmente viver sem a decisão. Ainda era suportável, ainda tinha muita louça para usar e a pia estava com apenas algumas dores sujas e à mostra.

Você pode, então, decidir que tá tudo bem, apesar de ter algo mal.

Algumas semanas depois, tendo ignorado o problema (sim, esse é um jeito de resolver), a resposta veio à minha mente. Eu estava forte agora, eu tinha forças para lidar com isso, eu podia realmente lidar totalmente com o que estava nas minhas mãos sem ficar paralisado e ser destruído por mim mesmo afogado nas águas da indecisão.

Decida não decidir, mas paralise a decisão.

O problema é quando nossa falta de decisão acontece quando não há mais opções no armário e, quando isso acontece, uma decisão será tomada, mesmo que não seja por nós.

РSua demisṣo

– O fim do seu namoro

РAquela dorzinha que virou ̼lcera

Esses são exemplos de indecisões quando não há mais opções e você insiste em continuar sem decidir. Para todos os outros casos, basta decidir que tomará a decisão depois. Sabe, a única informação que eu quero que você entenda aqui nesse artigo é que há momentos em que você, simplesmente, não pode fazer algo e você precisa aceitar isso. Há momentos, no entanto, em que você é ou obrigado ou tem forças suficientes para isso.

Enfrente apenas as dores que precisa ou que pode. Nenhum outro.

Quando você começar a enfrentar apenas os monstros e tristezas que pode, perceberá o poder da resiliência emocional. Ou seja, poderá se renovar dia após dia como uma pessoa cada vez mais forte e pronta para o próximo passo evolutivo. Eu realmente acredito em você porque um dia decidi acreditar em mim. E

se eu, quebrado como sou, consigo lidar muito bem com meus sentimentos, tenho certeza que você vai longe!

Como Lavar Louça e Suas Dores

Finalmente, a vida pode ser resumida numa simples lavagem de pratos. Tudo começa com uma magnífica refeição. Após a refeição, é então preciso decidir quando que teremos os recursos necessários para por a mão na esponja, usar o detergente correto e inundar apenas com a quantidade suficiente de água.

Depois disso, pouco a pouco a comida vai sendo removida do prato. E, no final, basta passar um pano rápido e ter seu prato completamente brilhante, renovado, e pronto para um novo uso.

Imagens Utilizadas: [1][2][3][4]


Rodrigo Nask

Sou Pó de Estrela que Bebe Pó de Café com Água.

2 comentários

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.