fbpx

O quão difícil é ser eu? Difícil.

O quão difícil é ser você? Fácil.

Ahhh, mas claro, depende do ponto de vista. Para mim, é fácil ser eu. Para você, é fácil ser você. Vivemos e acostumamos com a ideia de que somos quem somos independentemente do quão somos.

PAUSA PARA RESPIRAR

Olá, me chamo Rodrigo Nasc e, não por coincidência, esse blog tem meu nome. Este artigo está aqui para marcar minha passagem dos 27 anos, ou 852 milhões de segundos. E, por mais que eu esteja falando sozinho por aqui, pretendo trazer algo de bom para ti.

 

Dizem que a vida começa aos 40, né?

Eu não pretendo esperar até lá. E você?

Única foto que tirei no meu aniversário haha

Nesse último ano tive meus melhores picos de serenidade e de expectativa profissional. Mas há uma coisa que eu enxerguei e senti na pele que acredito ser importante de falar. Sabe, nem todo mundo vê no momento certo quando o trem está indo para uma ponte quebrada.

Prestes a desabar no precipício, todos sabemos que a melhor decisão é pular do trem.

Pulei de um desses trens.

Achei que tinha caído num precipício mas, sinceramente, foi massa pular. Melhor é ver a verdade que brincar com a mentira. Se neste ano que passou eu puder te dar algum ensinamento, este é o ensinamento: viva como se o amanhã não existisse ao mesmo tempo que acredita totalmente nesse amanhã. No entanto, se um dia você descobrir que seu amanhã, realmente, não existe, então faça seu amanhã virar ontem o mais rápido possível.

Não reclama. Você pegou o trem que queria pegar.

Aprenda. Tudo vem por um motivo, basta procurar – ou inventar.

Viver pela metade é aproveitar pela metade, é sofrer pela metade, é ganhar em segundo lugar, é ver os amigos serem promovidos, é ficar na suplência do concurso, é comprar um carro popular querendo uma BMW, é comprar uma BMW querendo uma Land Rover. Viver pela metade é uma mistura de pouco esforço e muito querer.

Pouco esforço e muito querer.

Depois de tanto viver essa vida que comigo está, finalmente consigo dizer que tenho orgulho do quem sou. Não por ter uma BMW na garagem, não por ter um emprego incrível nem por milhões de outras coisas que não tenho, mas por ter orgulho do pouco que sou e acreditar que esse pouco me levará onde quero estar.

Mais importante ainda, é saber que tenho uma família. Um pai que sempre apoia a todos meus projetos, mesmo com um pé atrás, afinal, o modelo que ele cresceu não é o mesmo que o meu, mas o apoio continua lá e a esperança que vai dar certo; uma mãe que sente tudo que passa comigo, fica chateada quando eu não acordo ela às 4:30 para fazer café e tem aprendido um pouco que eu não quebro; e um irmão que é como se fosse meu eu 2.0. Ideais similares, conflitos similares, loucuras e desejos parecidos e ótimas conversas. Muito bom ter alguém tão próximo e parecido aqui ao lado.

O que quero dizer com pouco esforço e muito querer é que, a partir do último ano, aprendi o que, realmente, significa a palavra esforço. Abdiquei de relacionamentos em várias vias, fossem amizades ou paixões. Abdiquei de prazeres, aprendi a controlar o corpo e a mente. A ser idiota, a ser um robô, quando preciso fosse mas, super importante, em ser uma alma humana quando o momento pedisse que isso fosse.

A vida é apenas uma Troca Equivalente e não adianta querer a BMW se você usa suas forças para um Fusquinha. Cada churrasquinho no fim de semana pode te deixar mais longe do Fusquinha. O churrasquinho também pode te deixar mais próximo da BMW. Quem disse que eu sou Deus e estou sempre certo? Eu sou um cara cheio de boa vontade, louco para te ajudar a atingir altíssimos objetivos em máxima performance com um sorriso estampado na cara… mas eu também erro.

O que eu acredito, no entanto, e será magnífico caso você também acredite ou dê uma chance, é que podemos ser mais quando decidimos ser menos. Menos procrastinação gera mais produtividade; menos jogos gera mais tempo livre; menos sexo gera… bem… deve gerar alguma coisa; menos cerveja gera barriga tanquinho. Venho estudando, testando e aperfeiçoando muitas técnicas. Algumas, vindas de grandes gurus; outras, vindas de mim. O resultado: alta performance, mas não gosto desse nome, porque também tem resiliência emocional, também tem produtividade, também tem relaxamento.

Rodrigo Nasc = Desenvolvimento Pessoal

Ainda estou a procurar um nome bonito, melhor, para isto. Mas esta é minha grande paixão. Crescer e ajudar outros a atingir ótimos resultados. Seja no sorriso ao final de processo de Coaching ou Treinamento, seja numa simples dica ou num questionamento ou onde for, é isto que me move a me mover.

Por fim, quero finalizar com duas frases.

O último ano foi o melhor ano da minha vida.

Se o seu não foi, pode ser. Deve ser. Será!

 

 

Categorias: Blog

Rodrigo Nask

Sou Pó de Estrela que Bebe Pó de Café com Água.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.